Attars (Perfumes Árabes)


O ato de perfumar-se é um dos mais duradouros costumes do ser humano. Seja para disfarçar os odores naturais do corpo, seja como complemento de elegância e sensualidade, ou ainda para ter e transmitir a sensação de higiene, as pessoas consomem cheirosas essências, loções, desodorantes, talcos, colônias. Em tempos remotos, o uso de perfumes esteve inicialmente associado a ritos religiosos. Há mais ou menos 500 mil anos, quando o homem descobriu o fogo, tratou logo de prestar homenagem aos deuses oferecendo-lhes a fumaça que emanava das resinas e madeiras que queimavam.

Os vapores aromáticos que subiam dos altares dariam prazer aos deuses através da fumaça - ou como diriam muito tempo depois os romanos, per fumum. Os primeiros perfumistas a entrar para a História foram os sacerdotes do Egito antigo. Em breve, os egípcios descobriram que o que era bom para os deuses devia ser bom também para eles, pobres mortais nem sempre bem cheirosos. Assim, o perfume conquistou a vida profana- para nunca mais deixá-la.

Nos banquetes nos palácios dos faraós, por exemplo, era costume derreter uma espécie de gordura perfumada sobre a cabeça dos convidados em sinal de estima. Os hebreus untavam os cabelos de seus reis com óleos aromáticos, como narra a Bíblia. As mulheres gregas e romanas mandavam buscar nos jardins do Oriente ervas e flores raras. Com elas fabricavam-se ungüentos, pomadas e essências para fins cosméticos, Por essa época, perfumar-se já fazia parte dos ritos de beleza. Com o advento do cristianismo, os aromas caíram em desgraça, por estarem ligados aos costumes pagãos.

A arte da perfumaria só não desapareceu graças aos árabes, cuja religião não os impedia de cultivar os prazeres sensuais.

O químico árabe, Al-Kindi (Alkindus), escreveu no século IX um livro sobre perfumes chamado Livro da Química de Perfumes e Destilados. Ele continha centenas de receitas de óleos de fragrâncias, salves, águas aromáticas e substitutos ou imitações para droga caras. O livro também descrevia cento e sete métodos e receitas para a perfumaria, inclusive alguns dos instrumentos usados na produção de perfumes ainda levam nomes árabe, como alambique, por exemplo.

Nas Cruzadas, com o trazer para a Europa pelos cavaleiros dos perfumes Árabes, possuidores na época de uma perfumaria em expansão, e detendo o monopólio comercial, tendo este domínio a sua base nos conhecimentos Persas e na invenção pelos próprios Árabes do alambique, que permitiu uma nova forma de destilação, o interesse pelo perfume na Europa foi reavivado.

Existem alguns paradigmas que tem que ser quebrados com relação aos perfumes árabes. De fato as embalagens são lindas, mas não fazem o perfume ; os melhores perfumes concentrados à óleo são aqueles feitos por designers árabes (ou que tem outra nacionalidade mas que tem um viés oriental como é o caso do Cambojianos e indianos) que são grandes artistas artesanais. Basta pensarmos que a perfumaria árabe é uma perfumaria de nicho (perfumes que não se encontram nas grandes redes comerciais, tidos como exclusivos e raros), só que uma nicho muito movida por aspectos culturais do oriente, que são diferentes de um Serge Lutens, por exemplo, que tem a ostentação de uma Shiseido por trás do talento dele.

A perfumaria árabe é uma perfumaria onde se busca inspiração do "chão árabe", das coisas da terra como a rosa (que é um elemento base na perfumaria árabe), o Agarwood ( que é fruto de um processo de decomposição nas árvores no qual se extrai uma das resinas mais caras e mais exóticas do mundo), do musk e do sandalo em formas mais puras e intoxicantes(que transitam desde o afrodisíaco até as propriedades terapêuticas, entre outros).

O expertise para elaboração de óleos concentrados na sua forma mais genuína se mantém dentro do povo árabe e o perfume tem um mindset muito mais elaborado do que estamos acostumados com todas estas grifes que falamos. O mindset deles está relacionado a bem estar, auto-estima, família, qualidade de vida. O perfume não é só pra se perfumar, mas para exalar no incensário, para curar depressão, elevar a alma a um estágio de inspiração, de entrega. Digo isso pois devido ao meu contato com a cultura árabe de alguma forma, possibilitou que eu tivesse alguns contatos que entendem de attars melhor do que eu. De fato tem muitos attars (perfume, em árabe) com matérias primas extremamente caras como Ambergris branco, Musk negro, Rosa Tai'fi , Agarwood , Oudhi , sandalo mysore puro e algumas outros que são a base da perfumaria árabe; no entanto o preço irá variar de acordo com o % usado e qual é o blended que o artista irá fazer.

Começar a pensar em comprar perfume árabe requer que esqueçamos todos os nossos conceitos sobre tamanho do frasco, beleza da embalagem, "status" da procedência do produto (uma botique , por exemplo), pois encontaremos attars de 1ml , 3 ml ou até mais mas que são altamente concentrados e sofrerão infusão de matérias primas em diversos níveis de estágio. Uma única gota resulta em uma pele perfumada por todo um dia, mas não é só isso , a durabilidade e resistência destes aromas é algo fora do comum. Os perfumes considerados "majestosos" chegam a durar 60 anos e quanto mais velho, mais caro fica.

Normalmente estes perfumes são dados como presentes para pessoas que tem grandes relacionamentos sejam pessoais ou de negócios com sheiks, princípes, diplomatas e tantos outros.

Existem também níveis de longevidade de algumas matérias primas que as tornam mais caras, como é o caso do Ambergris. O Branco é o mais caro, o dourado fica em uma fase intermediária e o negro é o de menor qualidade e preço; por tudo isso e mais é que a perfumaria árabe não é só comprar o perfume, mas é entrar em uma cultura e fazer parte deste ritual sobre a relevância do attar dentro da cultura.Por outro lado, a perfumaria árabe também não é um mundo à parte, ela precisa se socializar com o ocidente e quebrar as fronteiras, por isso que temos linhas de vanguarda no capitalismo perfumístico que é a Amouage (que tem uma forte tradição na família imperial Omar) e o próprio Montale(que tem Attars caríssimos e dialoga com o oriente em suas fragrâncias), além de marcas mais medianas, mas igualmente importantes como AlHaramain, Ajmal, Rasasi, Swiss Arabiam parfum, AlRehab e tantas outras que investiram muito mais em marketing e tem um % de seguidores que preferem gastar em um perfume considerado mais popular que investir em um perfume feito por um perfumista artesão dos Emirados Árabes e que tem seus clientes através do boca a boca ou no seu próprio nicho ou 200 Euros em um Amouage, por exemplo.




22 comentários:

  1. Fábio, ouvi muito falar que perfumes que contém esse óleo aromático, são soluções para quem tem problema com projeção, que não tem pele boa para projetar perfumes. É verdade?

    ResponderExcluir
  2. Hmmm, então me indica alguns oleosos para balada e que tenha boa aproveção das mulheres, por favor? :D

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Isso eu não sei, pois não uso. Apenas confirmei pelo que já li sobre. Abraços

    ResponderExcluir
  4. Heverton (Uberlândia)28 de maio de 2012 15:05

    De forma específica em relação ao perfume, usei ontem a noite, e minha esposa, "coçando as canelas", me deu o veredicto e ultimado: Só posso usar o perfume junto dela. Se for trabalhar com ele, estou ferrado! Rsrs.

    ResponderExcluir
  5. Estava fuçando no ebay, até me deparar com muitos perfumes árabes e acabei pesquisando, e achei este tópico,
    Fabio, saberia me falar de alguns desses perfumes, alguns que assim como o Raghba, cairiam bem pra nós ocidentais rs'
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Attar Al Kaaba de Al Haramain, oud com rosas e ambar, mas tem que gostar dessa linha. Abs

      Excluir
  6. como comprar - francilea@gmail.com

    ResponderExcluir
  7. Grande Fábio. Já conhece o Raghba? se sim, poderia tecer algo a respeito ou então de algum perfume árabe? http://www.universalperfumesandcosmetics.com/index.php?route=product/product&path=63&product_id=2055

    ResponderExcluir
  8. boa noite..onde posso encontrar esse perfume Attar Al Kaaba?

    ResponderExcluir
  9. Onde comprar com ótimo preço e boa procedência .Angélica :http://www.islamicapproach.com/haramain-perfumes-c-22_73.html

    ResponderExcluir
  10. Eu tenho um atar que já saiu de linha da Swiss Arabian.É um espetáculo e não altera o aroma.Já fazem 5 anos que o possuo,mesmo aroma.A fixação é fantástica e os aromas são excelentes.Resolvi encomendar o Al Kaaba que dizem ser maravilhoso.Estou aguardando a chegada.Abraços,Angélica

    ResponderExcluir
  11. Gente alguém já usou os da marca Ajmal?

    ResponderExcluir
  12. Sim, eu tenho alguns do Ajmal e soa muito bons. Depende qual seria a fragrância que mais voce gosta. Adoro perfumes árabes, porem tem de se provar antes. Sao de EXCELENTE qualidade e nada parecidos com os acidentais.

    ResponderExcluir
  13. Sim, eu ja usei e uso os perfumes da marca Ajmal. Depende do que voce procura. Sao maravilhosos. ( Sou fascinada por perfumes arabes ! ) kkkk

    ResponderExcluir
  14. Ganhei um óleo com aroma, onde um pouco que se usa é o suficiente para deixar com o cheiro o dia todo, mas infelizmente não sei onde encontar lojas aqui em Belo Horizonte que vende produtos Árabes, onde a pessoa que me deu comprou de um representante que viaja o Brasil todo e perdeu o contato .
    Caso alguém saiba , favor entrar em contato.
    (31)989719020

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renato, em São Paulo Tem uma loja O nome e Vent Vert no Shopping Morumbi, perfumaria, que vende perfumes árabes de excelente qualidade. Só que são caros. Passam dos mil reais. São maravilhosos. Tente entrar em contato.

      Excluir
  15. Comprei o meu al-kaaba no ebay. O perfume é muito bom e dura muito.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...